Exposição de Gildásio Jardim traz as cores e raízes de um jardim do Jequitinhonha

Exposição individual do artista Gildásio Jardim que é mestre da cultura popular e criou uma técnica de pintura onde confecciona telas a partir de tecidos estampados muitos populares no Vale do Jequitinhonha, seu solo cultural e afetivo. Sobrepostas, em 3D, há cenas do cotidiano de sua infância e juventude.

Gildásio começou a pintar aos 13 anos, fazendo experimentações com as tintas que encontrava em sua cidade. No início eram puramente decorativas, paisagens, flores e animais. Com o contato com a sociologia e a filosofia, seu imaginário se ampliou às pessoas da sua infância na zona rural, à luz e cores do Vale do Jequitinhonha.

Em tecidos usados pela população local, a chita com bolinhas e florzinhas que as mulheres vestiam, e as chitas com xadrez que eram as camisas dos homens, Gildásio sobrepõe as cores de seu universo particular. Um tecido, sinônimo de pobreza, virou para o artista sinônimo da beleza, da alegria e da simplicidade da sua gente, que tem, segundo ele, como principal característica, a afetividade. No dia do abertura, que acontece em 19/08, às 15h, os visitantes serão recepcionados pelo grupo Viola Baguá. Livre/Grátis.

Salão Principal da Pinacoteca de São Bernardo do Campo. Rua Kara, 105, Jardim do Mar. Tel.: 4125-4056.

Visitação até 30/09, terça a sábado, das 10h às 18h, quinta até às 21h