Voltar

Segundo Festival Cultura e Sabores

Segundo Festival Cultura e Sabores

17 de Out de 2019 José Donizeti de A. Nogueira

Shows musicais, gastronomia, lazer, artesanato e cidadania marcaram  o Segundo Festival Cultura e Sabores


Shows gratuitos com artistas consagrados como Marcelo Jeneci e o Grupo Zampo, juntamente com os novos artistas da região do ABC trouxeram um grande público para o Parque Salvador Arena durante o Segundo Festival Culturas e Sabores de São Bernardo do Campo, nos dias 12 e 13 de outubro. Além das atrações artísticas, o festival também teve uma programação rica e diversificada, da qual fizeram parte uma Feira de Economia Criativa, ações para a cidadania e de educação para a saúde, bem como outras de caráter ecológico.

A cantora Mírian Lopez foi um dos novos nomes que fizeram parte das atrações musicais do Festival. Com uma carreira profissional iniciada há cinco anos, Mírian conta que uma importante parte de sua formação artística foi feita nas oficinas culturais de São Bernardo e que seu repertório é composto por música latino americana (com destaque para Mercedes Sosa e Violeta Parra) e MPB, dos quais fazem parte composições próprias e de Caetano Veloso. Para ela, participar deste festival foi uma grande oportunidade e uma realização, pois não existe nada que um artista aprecie mais que a interação com o público.  

Outra importante atração do Festival foi a Feira de Economia Criativa, na qual estiveram presentes mais de 40 empreendedores nas áreas de gastronomia e artesanato.  Rosmari de Faria, uma das artesãs presentes, comenta que começou a trabalhar artesanato por necessidade de complementar sua renda e que, para isso, contou com a ajuda dos cursos das EMIP’s de São Bernardo do Campo. Lá, além de adquirir o conhecimento para a realização de trabalhos artesanais, também conheceu pessoas que integraram um grupo chamado “Arte Que Faz” e ingressou nos projetos da Economia Solidária (um grupo formado por aproximadamente 60 pessoas, com o objetivo de promover trabalho, renda e interação social). Rosmari convida a todos os interessado a participar da próxima reaunião da Economia Solidária, que acontecerá na Biblioteca Monteiro Lobato em 3 de novembro.

Os produtos orgânicos do Sítio Recanto Magini foram parte integrante da Feira de Economia Criativa, no setor de gastronomia, com licores, cachaça, antepastos, sorvetes e sucos de frutas nativas da Mata Atlântica. O agricultor familiar Júnior Magini diz que a atividade rural que realiza em seu sítio, localizado em Parelheiros, zona rural do município de São Paulo, mais que uma atividade econômica, é também um compromisso com a saúde da população e com o meio ambiente. Júnior justifica sua afirmação ao comentar que não faz uso de agrotóxico e que muitos produtos que vende têm como matéria-prima frutas da mata atlântica ameaçadas de extinção, que ele ajuda a preservar mediante o cultivo.

Artigos artesanais da cultura afro brasileira, como bonecas étnicas e abayomi, turbantes e adereços estiveram presentes na barraca denominada Saudações Africanas do Coletivo de Afro Empreendedores de Diadema. Ermelinda Marçal e Rosimeire do Carmo, duas integrantes do movimento, contam que o coletivo tem por objetivo fomentar emprego e renda para a comunidade afrodescendente, bem como fortalecer e divulgar sua cultura. Um dos artigos que têm mais apelo cultural e emocional são as bonecas abayomi. A história destas bonecas remonta ao tempo da escravidão, quando as mães aprisionadas rasgavam pedaços de suas roupas, davam nós nesses trapos e assim faziam bonecas com as quais distraíam suas crianças.

Os trabalhos de conscientização para a saúde, dentro da programação Outubro Rosa, foram realizados pelas representantes da Associação de Voluntários para o Combate do Câncer no ABC. Olga Guazzelli, a diretora social e Nádia Assumpção de Mônaco, a vice presidente da associação fizeram um trabalho de conscientização e orientação para o auto-exame. Além da orientação, as voluntárias também montaram uma barraca de vendas de artesanato, cuja renda foi totalmente destinada ao auxílio do tratamento das pacientes carentes. 

Por fim, o Festival também teve uma barraca de adoção de animais, mantido por protetores independentes. Vários cães e gatos abandonados foram recolhidos, tratados, castrados e vacinados, antes de serem encaminhados para a adoção. Camilla Araújo, uma das protetoras diz que o trabalho que realiza juntamente com outros voluntários requer colaboração, uma vez que a chácara na qual os animais são mantidos é alugada e, para funcionar, precisa que as despesas com caseiro, ração, água e luz sejam pagas. Mas, Camilla ressalta que, apesar das dificuldades, os voluntários estão conseguindo manter as atividades de proteção e manutenção dos animais, graças a muitos colaboradores que ajudam com  doações, não só em dinheiro, mas também de produtos de limpeza, ração e de trabalhos, como trato e higiene dos animais, além de levá-los para veterinários, passeios, educação, treinamento e demais cuidados.
 

Contatos:

Economia Solidária 
Próxima reunião: dia 3 de novembro, às 13h, na Biblioteca Monteiro Lobato,
Rua Dr. Flaquer, 26, Centro. - Contato: 99180-0770  (Rosmari)

Associação de Voluntários Para o Combate ao Câncer no ABC
Rua Tiradentes, 587, Bairro Santa Terezinha. - Contato: 4123-2171

Coletivo de Afroempreendedores de Diadema
Página no Facebook

Protetores independentes Esperança Animal
Contatos: 96785-7148 (Camila)