Voltar

Combate à dengue é antecipado em São Bernardo

Combate à dengue é antecipado em São Bernardo

02 de Set de 2016 Vladimir Ribeiro
Agentes comunitários de saúde e de controle de zoonoses atuam para evitar a proliferação do mosquito aedes aegypti

Pelo segundo ano consecutivo, as ações de combate à dengue em São Bernardo foram antecipadas pelas equipes de agentes comunitários de saúde e de controle de zoonoses para o mês de agosto, ao invés de novembro, como comumente se faz. Nas visitas aos imóveis, os agentes eliminam os focos do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, zika e chikungunya, e informam os moradores sobre como prevenir as doenças.

A intensificação dos mutirões casa a casa teve início em agosto, nos bairros classificados como de baixo risco pelo Centro de Controle de Zoonoses (CCZ). A ideia é que, até o final do ano, quando tem início o período de chuvas, as equipes estejam atuando nas localidades consideradas de alto risco.

A coordenadora de Controle da Dengue de São Bernardo, Ericka Avibar, explicou que, para facilitar o trabalho de combate ao mosquito, os bairros de São Bernardo foram classificados como de baixo, médio e alto risco, levando em consideração, para isso, a quantidade de casos em cada localidade em 2015. “O Alvarenga e a Vila São Pedro são localidades consideradas de alto risco e vamos estar sempre presentes. Bairros que ficam na divisa com outros municípios, como Taboão, Jordanópolis e Pauliceia, também contarão com esse reforço no trabalho das equipes”, disse.

As ações ocorrem de 12 a 16 de setembro no Jardim Represa, Caminho do Mar e Jardim Anchieta; de 19 a 23, as visitas serão no Jardim Marina, Jardim do Lago e Jardim Petroni; de 26 a 30, nos bairros Vila Progressista, Vila Vivaldi e Vila Helena. Já no dia 31, os mutirões serão no Ipê e Vila Ferreira. A campanha prossegue até o término do verão, em 2017.

“A antecipação do trabalho surtiu bons resultados no ano passado. Os moradores estão deixando os agentes entrarem nas residências para buscar os focos. O objetivo é que consigamos baixar ainda mais a proliferação do mosquito, mas,  para isso, é necessário um trabalho constante”, salientou.

Além de verificar possíveis focos do mosquito, os agentes orientam moradores sobre como evitar criadouros e entregam toucas para a cobertura de caixas d’água sem tampa.

A população pode ajudar no combate ao Aedes aegypti usando o Disque-dengue (0800-195565) para informar sobre possíveis focos do mosquito. Em casa, os moradores devem estar atentos às caixas d’água (que devem permanecer cobertas), garrafas (sempre guardadas com o bocal para baixo), pneus e recipientes usados para estocar água de reuso.